Ensinar

"Ensinar não é transferir conhecimento..." Paulo Freire

Aprender

"Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses." Sócrates

Conhecer

Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros." Bill Gates
 

FELIZ 2013!

terça-feira, janeiro 08, 2013

Olá! Estou devendo há tempos aos seguidores da página. Mas pelo que vocês perceberam foram momentos difíceis, que aindas estão presentes em determinadas circunstâncias. Embora o mundo gire e tudo tenha que continuar, algumas lembranças fazem doer. Perder a mãe é uma dor que eu nunca imaginei tão forte.

Agora tento voltar à ativa, de forma que pretendo estar mais presente nesse espaço.

Esse ano tive a grata surpresa de lecionar para os pequenos da Ed. Infantil e o que gerou pânico de minha parte inicialmente, agora traz segurança e muitas alegrias.

Um período eu ficava em sala de aula, regente de 1 turma e no outro lecionava Estudos Complementares, que pela prefeitura daqui seriam aulas de artes e recreação.

Enfim, o trabalho foi longo e o resultado eu partilho agora com vocês.

 

Sugestões de jogos, brincadeiras e atividades artísticas a serem realizadas com os alunos.

 

Observações:

  • A maioria dessas atividades trabalha atenção, coordenação motora ampla e fina, organização espacial e temporal, partes do corpo, cores, sons, os cinco sentidos, socialização entre colegas de uma mesma turma e de diferentes turmas, percepção auditiva, visual e cinestésica, compreensão de regras, diálogo. As atividades artísticas foram mais musicais e de teatro do que em papel, haja vista que as crianças já as realizavam em sala de aula e eu quis ofertar algo que fosse desafiador e diferente para elas, afinal qual de nós ainda não percebeu que as crianças de hoje pouco brincam?
  • Fica definido nessas atividades e nos demais posts que seguirem que Etapa 1 (E1) refere-se às crianças de 4 anos e Etapa 2 (E2) para as de 5 anos, de acordo com a nomenclatura adotada pela Prefeitura de Ribeirão Preto.
  • Não será estipulado tempo para cada brincadeira, porque isso dependerá muito da turma e não do nosso relógio. Seria bom que as primeiras atividades fossem feitas com calma, certificando que cada aluno compreendeu o que é necessário para se brincar, jogar, participar, sem lesar o outro.
  • É interessante que, mesmo em uma situação de competição, seja dito às crianças que, na Escola, não ganha quem termina primeiro e sim quem faz direito, quem aprende. Assim ficará mais fácil intervir quando necesário.
  • Algumas músicas eu tenho no computador e posso enviar para quem pedir (kikauhlemann@hotmail.com – mandem e-mail, pois quase não entro no MSN)

 

1 - Esvaziar e encher: utilizei dois baldes dos que as crianças levam para brincar no parquinho com areia, os baldinhos de praia, com peças de montar, de jogos de encaixe. Para a E1 utilizei 10 peças e para E2, 15 peças. Os alunos formam duas filas, uma de frente para a outras, a critério do professor: meninos e meninas, grupo A e grupo B, etc. O primeiro aluno de cada fila deve retirar as peças do baldinho utilizando apenas uma das mãos e uma de cada vez. Quando terminar deve passar o baldinho para o colega seguinte, que deverá guardar a quantidade retirada do baldinho, novamente uma de cada vez e com apenas uma das mãos. Primeiramente fiz devagar, explicando como cada um deveria fazer. Eles tem uma tendência a segurar o balde com uma das mãos para retirar as peças com a outra, mas a regra não é esse e precisa ser cumprida. Quem descumpre começa tudo novamente. Em seguida fiz uma competição dupla por dupla, frente a frente um aluno de cada fila e por último fiz a competição entre as duas filas.

 

2 – Galinha cega

Cantar com as crianças  a música “Grite e cochiche” (Xuxa) e depois propor palavras para serem ditas gritando e cochichando. Conversar com ela porque tem hora que falamos gritando e em outras cochichando. Esclarecer que irá lembrá-las sempre dessas necessidades, quando ela se esquecer e que isso não é uma bronca e sim um lembrete.

Forma-se uma roda e uma criança é escolhida para estar ao meio, com os olhos vendados. As crianças da roda cantarão: “A galinha do vizinho.”, enquanto a do meio é girada por mim com os olhos vendados, até que a música acabe e todas as crianças sentem-se na roda. A criança de olhos vendados escolherá um amigo, que irá tatea-la e tentar saber, pelo toque, quem ela é. Se não conseguir, o colega que está ao meio deverá cochichar: “Oi coleguinha!” caso a outra criança ainda não sabia quem é, a do meio deve gritar: “Oi, coleguinha!”. Se a criança que está vendada, não conseguir descobrir quem é o colega, continua no meio da roda, caso contrário, troca de lugar com o colega desvendado.

 

 

3 - Aponte o que ouviu.

Cantar com os alunos a música: “Cabeça, ombro, joelho e pé”.

Explicar que vai dizer uma parte do corpo e apontar outra e que as crianças devem tocar a parte do corpo que foi dita, ignorando a que foi apontada. Inicialmente usar as partes do corpo mencionadas na música e em seguida possibilitar uma brincadeira entre dois grupos, na qual uma criança de um grupo fala para que o outro grupo aponte corretamente e vice-versa.

 

4 – Operários silenciosos.

Combine com as crianças que vão fazer de conta que elas estão trabalhando, explore o assunto com elas, questione se elas fazem alguma atividade fora da escola, como é o seu dia-a-dia, se elas brincam com outros colegas da mesma idade, mais novos ou mais velhos, se ajudam os pais, se ajudar é trabalhar. Em seguida explique que você vai dar, de faz de conta, diversos materiais para elas trabalharem e que terão que fazer tudo em silêncio, só com gestos, fazendo com o corpo como se estivessem mesmo trabalhando. Sugestões: martelo, serrote, tesoura, agulha, caneta, machado, pazinha, lápis, colher, faca, chinelo, vassoura, caneta, etc.

Obs: nas minhas observações em sala de aula, vi que alguns alunos faziam diferença entre lápis e caneta, o primeiro colore o segundo escreve, que com a colher eles não trabalham, eles comem (risos), que a agulha é para tomar injeção e não para costurar. Interessante ver o mundo na perspectiva da criança, não é? Em alguns casos eu comecei o movimento para que eles dessem continuidade, principalmente na E1.

Continua...

3 comentários:

Rosangela Vali disse...

Oi Erica!
Que bom contar com vc aqui novamente.Feliz 2013.
Sei que quando pessoas saem do nosso lado partem da qui, mas continuam em outra dimensão.Sei porque tbém partiu meu marido já faz 1 ano e quatro meses.Rezo por ele e por todos para que estejam em evolução e em paz.Acredito que nós iremos nos reencontrar novamente.O tempo de cada um, só Deus sabe.Deus tendo sido minha fortaleza juntamente com os amigos.Conte comigo e o trabalho, com certeza é uma ótima terapia e a gente vai cumprindpo nossa missão por aqui.
Bjos e até mais!

zanynha disse...

UMA COISA ENGRAÇADA QUE ACONTECEU NUMA ANTIGA TURMA DE 2° SÉRIE:
Produzimos um texto coletivo; os alunos copiaram no caderno e, em seguida, passei algumas perguntas para que eles respondessem. Ao recolher os cadernos, notei que o Gustavo havia apagado algumas palavras do texto... Encafifada, eu o chamei na minha mesa: "Menino, por que seu texto está incompleto? Faltam palavras em alguns trechos..." Tranquilamente, ele respondeu: "Ué, professora, na questão 3 está pedindo: RETIRE do texto 5 verbos. Então eu retirei..."

zanynha disse...

UMA COISA ENGRAÇADA QUE ACONTECEU NUMA ANTIGA TURMA DE 2° SÉRIE:
Produzimos um texto coletivo; os alunos copiaram no caderno e, em seguida, passei algumas perguntas para que eles respondessem. Ao recolher os cadernos, notei que o Gustavo havia apagado algumas palavras do texto... Encafifada, eu o chamei na minha mesa: "Menino, por que seu texto está incompleto? Faltam palavras em alguns trechos..." Tranquilamente, ele respondeu: "Ué, professora, na questão 3 está pedindo: RETIRE do texto 5 verbos. Então eu retirei..."